Seguidores

Ola ! quer falar comigo?

quarta-feira, 21 de julho de 2010

A dor de cada um: O que dizer para uma mãe que perde um filho




Rafael Mascarenhas, de 18 anos, filho da atriz da TV Globo Cissa Guimarães com o músico Raul Mascarenhas, morreu atropelado nesta terça-feira (20). A informação foi confirmada pela Secretaria municipal de Saúde do Rio. Segundo bombeiros da Gávea, que socorreram o rapaz por volta de 1h50, ele foi atropelado por um motorista que trafegava no Túnel Acústico, na Gávea, Zona Sul, na pista sentido Gávea.


http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2010/07/filho-da-atriz-cissa-guimaraes-morre-atropleado-no-rio-diz-secretaria.html

Notícia triste esta! O que dizer para esta mãe e tantas outras que perderam os seus filhos , só sei que  eu não gostaria de estar na pele delas . A dor é intensa, acredito que seja como perder parte do nosso corpo.Este ser humano ferido têm que adaptar-se a viver com este terrível fato. Contudo , cada um de nós temos as nossas dores. A dor de cada um.Segundo o Pastor Estevam Fernandes de Oliveira ..

 Cada um traz consigo uma certa dose de mistério. É o jeito de cada um. São peculariedades que tornam cada ser humano um ser único, com reações próprias, com especificidades que vão do gosto ao desgosto, do sorrir ao chorar. Na verdade ninguém é igual a outrem, inclusive na forma de sentir sua própria dor. Existe a dor de cada um.

Todos temos diferente graus de sensibilidade. Nem sempre os que estão perto de nós entendem as razões e a intensidade de nossa dor. São sentimentos muito íntimos, são experiências muito pessoais.

Os fatos da vida ganham ou perdem sentido quando afetam a nossa sensibilidade. Por isso mesmo, ainda que haja uma massificação do sofrimento, como ocorre nas tragédias coletivas, ainda assim existirá a dor de cada um. Às vezes numa mesma casa, sob um mesmo teto, um chora e outro ri, ou numa mesma cama, sob o mesmo lençol um dorme em paz e o outro agoniza em dor. Daí conhecer alguém em profundidade, é acima de tudo, entender a voz do coração, que muitas vezes, é exteriorizada pela linguagem das lágrimas.

Os relacionamento mais significativos como maridos e esposas, pais e filhos, amigos e namorados deixam marcas profundas em nós inclusive de sofrimento. Toda relação positiva exige um respeito para com a dor do outro. Esse respeito se dá quando não menosprezamos as lágrimas de alguém e tentamos entender as razões de seu sofrimento.

A dor de cada um é também a maneira como individualmente expressamos nossas frustrações, amarguras, desencantos, perplexidade, tristezas e lamentos. É uma forma bem humana de rejeitarmos a dor, é uma maneira corajosa de revelarmos nossa interioridade. Estranhamente também a dor é uma espécie de combustível para a vida. Uma força que nos obriga a olhar a olhar sempre para a frente, com os olhos da esperança. é o aprendizado, silencioso de quem valoriza suas próprias lágrimas.

As grandes perdas, o luto, as enfermidades, o término de relacionamentos, as ingratidões, as tragédias, enfim as experiências dolorosas da vida acabam injetando em nós a vontade de viver, o desejo de superação. É a dor como semente de vida.

Na experiência da dor Deus se revela como amigo fiel, trazendo consolo, proteção e fortaleza. Ele é o socorro bem presente na angústia. Por ser o Pai de todos, Ele está sempre presente na DOR DE CADA UM!

Autoria: Pr. Estevam Fernandes de Oliveira




7 comentários:

Principe Encantado disse...

É minha amiga milhares de mães espalhadas por este mundo tem suas vidas marcadas por fatalidades como esta da Cissa, infelizmente estamos aqui sujeitos a estes acontecimentos. Deixo aqui meus sentimentos a todas as mamães que neste momento choram por sua perda e me solidarizo com elas.
Abraços forte

Calebe disse...

Olá amiga,
Seu texto é interessante demais.
Cada um tem a sua própria dor, cada um tem os seus valores, a sua intensidade, cada um olha a vida com o seu angulo.
Cada um de nós somos únicos. Com nossas próprias dores e mazelas, conquistas e premiações.
Nesse contexto quem pode nos compreender exatamente a não ser Deus?
Num momento de dor o certo é que de alguma maneira precisamos estar presentes.
grande abraço

B.B. Amor mais forte que a própria morte... disse...

Querida Ismaelita, seu post é maravilhoso. Não vou mentir que estou indignada com a continuidade deste caso, peço a Deus que dê força a Cissa Guimarães para continuar. E, ainda tenho a esperança da justiça tomar uma providência, já que a pessoa confessou ter atropelado e foi liberada. Enfim... Talvez eu fale mais sobre esse caso. Espero a indignação ceder para me trazer à razão e não cometer injustiças.

Parabéns pelo POST. Sem dúvida, eu não saberia o que dizer. A dor da perda, e mais, de um filho é imensurável, quaisquer palavras podem ser indignas neste momento. Podem soar com outro sentido ante a dor. Espero que o mesmo Deus que tem me dado forças, ajude-a a prosseguir. Beijos, B.B.

Dú Pirollo disse...

Amiga Isma, nessa momento tão difícil e muito triste, só podemos pedir a Deus que dê consolo e paz para toda a família, o sofrimento é enorme, só o tempo vai curar o grande sofrimento. Abraços e muita paz!!!

Felipe disse...

Isma.
Em momentos como este não há o que dizer. Qualquer palavra seria em vão.
Cabe a nós fazer prece para a família que fica e para aquele que deixou este mundo.
Só o tempo cicatrizará a ferida, mas a saudade fica.
Beijão!
Felipe

Jackie Freitas disse...

Isma, minha amiga,
Realmente deve ser uma dor insuportável! Em minha família sempre dizemos que a morte de um filho desobedece a lei natural da vida (um filho morrer antes dos pais). Mas depois de um tempo, passei a pensar melhor e a entender que não existe leis para isso...as fatalidades, os acidentes e desastres acontecem e em minha visão, nada é por acaso. Talvez para Deus, o momento dele tenha chegado. Mas eu acredito que estamos aqui de passagem mesmo, que nos preparamos para um plano maior e melhor. Se formos acreditar no conceito céu e inferno, certamente aqui é o purgatório. Não saberia o que dizer à Cissa num momento como esse e nem sei se diria algo. Acho que respeitaria a sua dor e me calaria. Em certos momentos (como esse, por exemplo) não há palavras que possam confortar ou aliviar esse tipo de dor. Acho que o melhor é rezarmos para que ela crie forças e coragem para dar continuidade à sua vida, pois com certeza é essa a vontade de Deus! Não se questiona a vontade e sabedoria Dele!
Grande beijo, querida!
Jackie

Ao toque do Amor disse...

Olá, vim te visitar e te oferecer um presente exclusivo, que estou oferecendo aos meus seguidores.
E também o selo do dia do amigo - os dois selinhos estão no lado esquerdo do toque
com carinho
san