Seguidores

Ola ! quer falar comigo?

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Tirando a máscara








Não se deixe enganar pela minha falsa aparência. Não se deixe enganar pela minha máscara.
Eu me escondo por trás de milhares de máscaras e tenho medo de tirá-las. Nenhuma delas identifica-se com a minha face.

Para mim, fazer representações é uma arte; é demonstrar o que eu na realidade não sou.

Demonstro estar seguro, em paz, tranqüilo e feliz comigo mesmo, e expresso uma falsa alegria.

Segurança é o meu nome, e faço da tranqüilidade um jogo de interesse.

Procuro ser diferente e invariavelmente dissimulado. Aparento estar calmo, com o controle da situação, e procuro não aceitar a ajuda de ninguém.

Por favor, não acredite em mim, não se deixe enganar pela minha máscara.

Quem sou eu? Sou alguém que você conhece muito bem. Estou presente em seu dia-a-dia e tenho dominado a vida de homens e mulheres.

(Autor desconhecido)

Todos nós, seres humanos, temos o desejo natural de nos tornarmos reconhecidos por nossos talentos e valores espirituais. Por outro lado, às vezes também lutamos contra o sentimento de medo de sermos rejeitados em nosso convívio.

O que fazemos, então, para nos proteger? Muitas vezes nos encobrimos com máscaras e fingimos mostrar o que não somos. Escondemos o nosso verdadeiro eu, a nossa personalidade.

Muitos pensam: “Se alguém descobrir a minha real identidade, o meu caráter, terá dificuldades para gostar de mim”. Isto acontece porque o homem é um ser espiritualmente fraco e está habituado a comparar-se com os outros e a sentir-se inferior. Ele esconde-se por trás de uma máscara, gerando, assim, intenso sofrimento em sua vida, e não consegue se realizar pessoalmente.

Quando a nossa verdadeira identidade não é revelada aos outros, desenvolvemos um eu incoerente, fragmentado e fragilizado, e a nossa aparência não expressa nossos sentimentos. Estamos sempre preocupados em causar boa impressão aos outros, preocupados com a nossa aparência, com o que as pessoas poderão pensar ou falar a nosso respeito. Quando agimos assim escondemos a nossa própria personalidade e deixamos de cumprir os objetivos para os quais Deus nos criou.

As pessoas de personalidade fraca mas que conseguem fortalecer o seu eu sentem-se suficientemente seguras para desenvolver seu potencial e se dedicar a outras pessoas. Fazem isso não porque desejam demonstrar através de suas atitudes que são pessoas amáveis. Elas agem assim para tentarem compensar a fraqueza de seu caráter através de suas boas ações.

É provável que você pergunte: “É possível uma pessoa realizada esconder-se por trás de uma máscara?” Sim. É possível. Se por acaso observarmos que somos rejeitados em nosso convívio ou atravessamos alguma provação, é quase certo que nos valeremos de uma máscara para nos proteger.

Porém, se nestes momentos tirarmos a nossa máscara e revelarmos quem realmente somos; se nos propusermos a enfrentar os nossos medos, as nossas inseguranças, se soubermos lutar honestamente pela realização de nossos sonhos e expressarmos as nossas alegrias, certamente as pessoas de nosso convívio seguirão o nosso exemplo, e assim nos tornaremos aceitos em nosso grupo. Isto é reconfortante, pois descobrimos que não estamos sós, que podemos nos identificar com o nosso próximo como seres humanos vulneráveis, e isto nos ajuda a criarmos boas amizades.

Portanto, se você quer se tornar uma pessoa realizada, tem que ter a coragem de tirar a máscara e mostrar quem realmente você é. Só assim você poderá ser você mesmo e se sentirá bem espiritual, emocional e fisicamente.

Ter um eu saudável é saber que você é filho de Deus, amado e aceito da maneira como é. Nunca se sinta inferiorizado ou diminuído e com pena de si mesmo. Enfrente com dignidade suas dores, dificuldades, angústias e pensamentos negativos. Seja autor da sua história. “Ame a Deus o bastante para reconhecer o valor que você tem aos olhos dEle” (Kay Marshall).

Que Deus o abençoe abundantemente.


Fonte: Extraído da Revista Colaborador Fiel número 11

http://www.vitoriaemcristo.org/_gutenweb/_site/pg_noticias.cfm?cod_materia=14

4 comentários:

Principe Encantado disse...

Muito bom seu texto professora adorei.
Abraços forte

Cris Travassos disse...

O texto é muito interessante. Existem pessoas que acabam por acreditar em suas próprias máscaras a tal ponto de não encontrarem mais sua verdadeira personalidade.

Prefiro não usar máscara alguma, mas é preciso ter autoconfiança e autoestima. Assim, me mostro como realmente eu sou e sem medo de rejeição.

Beijocas

Montanari disse...

Eu decidi parar de usar máscaras. Não que eu fosse falso, mas eu sempre tentei agradar todo mundo para que gostassem de mim, pois sou muito carente.
Mas com o passar do tempo você vai vendo que isso e inútil, pois você se anula, acaba fugindo de quem você realmente é.
Eu não me considero uma pessoa boa, me considero uma pessoa justa, com sonhos, anseios, medos e mágoas. Nunca quis mostrar isso justamente por medo do que as pessoas iriam pensar de mim, mas, ora, dane-se. Ninguém paga as minhas contas, a maioria das pessoas só enxerga as coisas ruins que você faz, não reconhecem seu esforço em melhorar, então pra que me esconder? Pra que tentar agradá-las.
Hoje não uso máscaras, mas paguei o preço por querer ser quem eu sou, perdi muitas pessoas, mas são escolhas que temos que fazer e eu escolhi por mim.
Um abraço.

Divagações Solitárias

PS: Uma dica: Esse fundo colorido no seu template e essas letrinhas brancas e minúsculas dificultam muitíssimo a leitura. Acaba cansando um pouco.

lison disse...

Saudções!
Que Post Fascinante!
Amiga Ismaelita, gostei muito da mensagem, é um texto reflexivo. Bem, cada um escolhe a opção de conduzir a vida, para tanto a mil maneiras. Agora, eu penso que o melhor é escolher o caminho mais difícil, sem máscaras, sem falsas expectativas, sem mentiras. É muito melhor, dada a solidez que se constroi!
Parabéns pelo lindo Post!
Abraços,
LISON.